"I am an African, Cape Verdean, living in Portugal since 2007. My parents made my sister and I move here to get a better life, a better education. Portugal is a super calm country but, at the same time, it is super dope to live in! It was hard at first, having to start over with a brand new life, especially leaving my grandmother. I can tell you that she is my soulmate. Each time I talk to her on the phone, it breaks my heart because due to her illness, she's weak now, and knowing that I'm not there with her physically, it really breaks me down. My grandmother is an example of inspiration to me, because she's been so strong. If you ask me who my role model is, I would definitely tell you that it is her, with no doubt. I've learned that sometimes life is not easy but I know that, no matter what, there's no excuse to give up but to keep on living and working hard. I work a lot and try always to give my best because I know life is the reflection of what we give. And by making my time here a success, I know I'm giving back to my parents and my grandmother what they gave to me by making me come here. I now speak three languages, and I'm applying to study in New York for grad school. I plan to continue to make them proud."

___

“Eu sou Africana, Cabo-verdiana, a viver em Portugal, desde 2007. OS meus pais fizeram-me a mim e à minha irmã imigrar para Portugal a fim de melhorarmos de vida e termos mais oportunidades. Portugal é um país super calmo mas, ao mesmo tempo, super “fixe” de se viver! Foi difícil, à primeira, ter de começar uma nova vida, especialmente deixando a minha avó. Diria que ela é a minha alma gémea. Todas as vezes que falo com ela ao telemóvel, parte-me o coração pois, devido à sua doença, ela agora está um pouco fraca. A minha avó é um exemplo de inspiração para mim porque ela tem disso tão forte! Se me perguntares quem é o meu modelo, dir-te-ia claramente que é ela, sem dúvida. Eu tenho aprendido que a vida, às vezes, não é fácil mas eu sei que, independentemente de qualquer coisa, não há desculpa para desistir, mas sim para continuar a viver e a trabalhar duro. Eu esforço-me muito e tento, sempre, dar o meu melhor porque eu sei que a vida é o reflexo daquilo que damos. E para ter sucesso, eu sei que estou a retribuir aos meus pais e à minha avó o que eles me deram para eu ter chegado até aqui. Eu agora falo quatro línguas, e ambiciono vir a estudar em Nova Iorque. Eu pretendo orgulha-los ainda mais.”

 

All Posts
×

Almost done…

We just sent you an email. Please click the link in the email to confirm your subscription!

OKSubscriptions powered by Strikingly